Mesa-redonda debate Ciências Humanas e Filosofia na UFRN

O Instituto Humanitas e o PET de Ciências Sociais da UFRN estão realizando a Mesa-redonda Quem tem medo de Filosofia e Ciências Humanas, nesta sexta-feira, dia 10 de maio.

O evento ocorre no Auditório da Biblioteca Zila Mamede, no Campus Central da UFRN, a partir das 9h.

Os professores Alexsandro Galeno e Alípio DeSouza Filho estarão participando do evento, representando do Instituto Humanitas. Além deles, também estarão os professores Eduardo Pellejero, do Departamento de Filosofia, e Penha Casado, de Letras.

A entrada é livre.

Consepe aprova criação do Humanitas

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Consepe-UFRN) aprovou por unanimidade, na manhã desta quinta-feira, 20, a proposta de criação do Humanitas, que será um Instituto de Estudos Integrados do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA).

A professora do Centro de Ciências Exatas e da Terra (CCET), Jeanete Alves Moreira, foi relatora da proposta e votou de forma favorável à criação do Humanitas. A professora considerou que o projeto tem como intuito cumprir com atividades basilares da universidade, que são ensino, pesquisa e extensão. A docente destacou ainda o perfil de pesquisa que a unidade pretende desempenhar, inclusive, contribuindo com a internacionalização da instituição de ensino.

Já para a reitora da UFRN, Ângela Maria Paiva Cruz, o instituto é uma forma de dar relevância e de mostrar à sociedade a importância dos estudos das ciências humanas, visto que as pesquisas em outras áreas necessitam do suporte social para estabelecer pressupostos e consequências na vida das pessoas.

Instituto de Estudos Integrados Humanitas é realidade na UFRN

A comunidade de humanas chega ao fim do ano com mais um motivo para comemorar. Depois da nota 4 do Curso de História – Licenciatura a distância – com seu consequente reconhecimento pelo INEP, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFRN, acaba de aprovar – por unanimidade, proposta de criação do Instituto de Estudos Integrados Humanitas.

Segundo a professora do CCET, Jeanete Alves Moreira, relatora da proposta, “o projeto tem como intuito cumprir com atividades basilares, a realização de pesquisas, contribuindo assim com a internacionalização da instituição de ensino”.

Sobre o assunto, a reitora da UFRN, Ângela Maria Paiva Cruz, se manifestou dizendo que o instituto é uma forma de dar relevância e de mostrar à sociedade a importância dos estudos das ciências humanas, “visto que as pesquisas em outras áreas necessitam do suporte social para estabelecer pressupostos e consequências na vida das pessoas”.

Para a diretora do CCHLA/UFRN, professora Maria das Graças Soares Rodrigues, o Instituto de Estudos Integrados Humanitas é uma grande vitória da área, com o espaço servindo para “a promoção e fortalecimento da visão das humanidades na sociedade, seja nas esferas do aparelho de Estado e de governança política,seja na esfera da vida social”.

O Instituto Humanitas servirá ainda para promover estudos estratégicos de longo prazo, definindo cenários de futuro para o estado, regiões, municípios e suas atividades, além de ofertar cursos de graduação e pós-graduação (projetos futuros), oficinas, cursos livres, promoção da ampliação da inserção e do protagonismo da UFRN no debate público estadual e nacional, contribuindo ainda para à estruturação de sistemas de monitoramento e análise e informações (Observatórios), buscando maior coerência e melhoria do impacto da gestão institucional.

O Instituto Humanitas utilizará espaços físicos no prédio administrativo do CCHLA, contará com infraestrutura já existente como as bibliotecas Central e Setorial, salas de aulas e laboratórios, tendo na equipe  professores do quadro permanente da UFRN, visitante estrangeiro e bolsistas do PNPD/PPGCS/UFRN. Ademais, agrega vários grupos de pesquisa e parcerias nacionais e internacionais.

As ações previstas são oferta de disciplinas eletivas para cursos de graduação; cursos livres, Ateliê de Escrita Científica em Humanas; pesquisas longitudinais; criação do Observatório de Pesquisa em Ciências Humanas no Nordeste; criação de um curso de graduação a ser ainda concebido e criação de Programas de Pós-Graduação (acadêmicos, profissionais, latu senso, stricto senso).

Fonte: Assessoria de Comunicação do CCHLA/UFRN