CURSO: Técnica de Experimento Aleatório Controlado para Avaliação de Programas Educacionais

curso-sandra-jun-2019

DIAS: 10 a 14 de junho de 2019

Local: Laboratório de Planejamento (Labplan) do Departamento de Políticas Públicas/UFRN – Campus Central (sala a definir)

Vagas: 35 (prioritários: gestores de Secretarias Municipais e Estadual do Rio Grande do Norte; alunos de pós-graduação e de iniciação científica vinculados a projetos de pesquisa)

Professor-ministrante: Guilhermo Toral (Massachusetts Institute of Technology – MIT/Estados Unidos).

Obs: o curso será ministrado em Português.

Requisitos: conhecimento elementar de banco de dados e de manuseio de dados quantitativos e estatísticos.

Sobre o Curso

CONTEÚDO: Teoria e prática da avaliação experimental de políticas públicas 

 A avaliação de programas sociais é um importante instrumento para aferir a eficácia e efetividade de políticas públicas, servindo de insumo para a adoção de ajustes e correções tanto no desenho quanto no modo de implementação de políticas.

Como podemos, então, saber se uma política pública atingiu seus objetivos? Por exemplo, como saber se um programa implementado nas escolas de fato melhora o aprendizado dos alunos? No geral, avaliações quantitativas que simplesmente comparam resultados “antes e depois” da intervenção não são suficientes para aferir com precisão os efeitos particulares de um programa e, assim, têm ação limitada para guiar a tomada de decisões ou produzir acúmulo de conhecimento. Esse curso de 5 dias introduz técnicas experimentais que facilitam uma avaliação rigorosa de políticas públicas. O curso cobrirá os fundamentos teóricos dos experimentos em políticas públicas, assim como os aspectos práticos do desenho e execução de avaliações experimentais. Terá também algumas sessões de análise de dados usando o software gratuito R e noções iniciais a outras técnicas (chamadas de quais-experimentais) que podem ser utilizadas como uma alternativa quando um experimento não é possível. 

O Curso também prevê exercícios de aplicação realizados em grupos pelos alunos participantes.

Tendo em vista os efeitos que o acesso a uma educação de qualidade tem na redução das desigualdades sociais por meio da equalização de oportunidades, aprender técnicas de avaliação de políticas torna-se um potencial instrumento para a melhoria das políticas públicas de modo que estas alcancem, efetivamente, os objetivos esperados.

O curso almeja atrair gestores, especialmente das Secretaria de Educação do Estado e dos Municípios do Rio Grande do Norte e em conformidade com o Projeto Pedagógico do Bacharelado em Gestão de Políticas Pública, que propõe a interação permanente com o poder público nas atividades de ensino, pesquisa e extensão.

O curso será ministrado por Guillhermo Toral (doutorando do Massachusetts Institute of Technology – MIT – dos Estados Unidos) que tem desenvolvido atividades colaborativas com a Profa Sandra Cristina Gomes (Departamento de Políticas Públicas/UFRN) durante seu trabalho de campo no Brasil e no Rio Grande do Norte. Especialista nesta técnica, o curso é uma oportunidade ímpar de conhecer essa ferramenta de gestão.

Programação

  • Dia 1 – Segunda, 10 de junho (das 13h às 17h) – Introdução à avaliação de políticas

públicas. O problema da inferência causal — porque é difícil estabelecer se A

(e.g. uma política pública) causou B (e.g. uma melhora do aprendizado dos

alunos). O paradigma dos “resultados potenciais” e como ele nos ajuda a desenhar avaliações rigorosas. Panorama geral de desenhos experimentais e quasi-experimentais.

  • Dia 2 – Terça, 11 de junho (das 13h às 17h) – Experimentos / Ensaios controlados

aleatorizados. Como um experimento soluciona o problema da inferência causal.

Ingredientes essenciais de um experimento. Ameaças à validade dos

experimentos. Como desenhar e analisar experimentos.

  • Dia 3 – Quarta, 12 de junho (das 13h às 17h) – Os 4 principais desenhos quasi-experimentais:

matching, regressão descontínua, variáveis instrumentais e diferença-em-diferenças.

  • Dia 4 – Quinta, 13 de junho (ATENÇÃO: das 9h às 13h) – Desafios comuns na

avaliação de políticas públicas: coleta de dados, poder estatístico, aleatorização,

amostragem, questões éticas. Quinta à tarde: Oficina em grupos — desenhando

avaliações experimentais ou quais-experimentais para programas sociais.

  • Dia 5 – Sexta, 14 de junho (das 13h às 17h) – Laboratório de análise de dados experimentais e quasi-experimentais com R.
Total de visualizações desta página: 414
Back To Top