GT-37: O FAZER TEATRAL : PEDAGOGIAS E PRÁTICAS

Coordenadores:

José Sávio Oliveira de Araújo

E-mail: gtteatro@digizap.com.br

Departamento de Artes

Sônia Maria de Oliveira Othon

Departamento de Artes

Local: Teatro do Departamento de Artes/UFRN

Somente na terça-feira, 05/07

01. O lugar do teatro na sociedade contemporânea: entre o riso e o risco (?)

Carlos Henrique Lisboa Fontes

Aluno de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais/UFRN.

henriquefontes75@yahoo.com

Orientadora: Profa. Dra. Maria da Conceição de Almeida (DEPED/UFRN)

A dissertação intitulada: “O lugar do teatro na sociedade contemporânea: entre o riso e o risco (?)” tem por objetivo investigar o papel e o lugar do teatro na sociedade contemporânea ocidentalizada do ponto de vista do ator que pensa, cria e difunde os seus espetáculos, ou seja, o que nós definimos como atores-artistas. A pesquisa está sendo feita através de interlocução com autores de várias áreas do conhecimento como Edgar Morin, Henri Bérgson, Denis Guénoun, Werner Heisenberg, Levy-Strauss, Maria da Conceição Almeida, Verena Albertti, entre outros, e usará como método/metodologia de trabalho a montagem de um espetáculo de teatro, que será condutor e conduzido da investigação acerca do lugar do teatro. Partindo de uma arqueologia do riso e da expressão teatral temos por hipótese o lugar do riso e do risco como criador de um novo paradigma da relação ator – espectador. Uma vez que o riso seja o “não-lugar” que provoca uma pausa na prosa do cotidiano, surge a hipótese: será que os atores-artistas devem fazer uso do cômico como um abre-alas para comunicação de sua arte? O lugar do teatro é o lugar do Riso? Do Risco? Entre os dois? Fazendo esse recorte do teatro cômico, supomos a comédia como o lugar que agrega e a tragédia o lugar que separa os que assistem dos que representam. Suposição aberta a refutação e caminho que pode ganhar outras direções a partir do nosso método como estratégia: A Ciência como Montagem e a montagem como ciência. Método esse que será (re)construído durante todo o processo de ensaios, elaboração e reflexão da peça e do texto científico.

02. Artes da história: leituras e apropriações no teatro em sala de aula

Ana Paula de Araújo Ribeiro - CERES

anapaula-sv@bol.com.br

Ana Nery Silva de Oliveira - CERES

nanery17@bol.com.br

Ms. Joel Carlos de Souza Andrade - Orientador

A relação entre história e artes cênicas tem sido retomada como um dos importantes espaços para reflexão do conhecimento histórico no âmbito da multifacetada História Cultural. Partindo desta idéia, desenvolvemos junto à disciplina Cultura Brasileira, numa atividade articulada com o projeto de monitoria “O Saber Histórico: ciência e/ou arte?, um trabalho de analise e adaptação da peça o Auto da Compadecida do escritor Ariano Suassuna no sentido de articular as temáticas enfocadas sobre culturas populares na  disciplina e os personagens da obra. A tentativa de se fazer a peça e as leituras que estão sendo realizadas não nos induz a uma reprodução, mas a uma produção e compreensão da vastidão de momentos históricos num mesmo terreno que de local e popular atinge o universal e o erudito e nos possibilita novos recortes, novas leituras e diferentes abordagens sociais, históricas e culturais em novas praticas na relação entre docentes e discentes. Por isso, ao historiador atento, trabalhar com o teatro pode ser bastante inspirador aguçando nos alunos o interesse pela leitura e pela compreensão das diferentes experiências de mundo.

03. A CONSTRUÇÃO DO ESPETÁCULO COM TEXTOS NÃO DRAMÁTICOS: Caminhos  para uma pedagogia teatral

Prof. Ms. Jonas de Lima Sales

Centro de Educação Integrada - CEI

jm_sales@ig.com.br

A seguinte exposição traça as características da metodologia desenvolvida nos trabalhos realizados no grupo de teatro do CEI – Centro de Educação Integrada – com textos não dramáticos em seus recitais poéticos  que vem sendo trabalhados ao longo  das atividades  pedagógicas da instituição. Desta forma, busca-se  com estas práticas, construir um fazer teatral na escola  de modo que  venha favorecer o desenvolvimento artístico e intelectual dos proponentes envolvidos  nestas atividades. No processo, os espetáculos  foram construídos  de maneira em que os poemas  (textos não dramáticos) viessem  a se tornar viáveis para a produção  teatral. Estar-se-á destacando os trabalhos desenvolvidos  a partir dos poemas de Ariano Suassuna, João Cabral de Melo Neto e Jessier Quirino, autores contemplados para estudos pela instituição, que resultou em três espetáculos que correspondem respectivamente; "Ariano em sonetos” , “Da água ao pó”  e “ lembranças do Interior”.

04. ENCENAÇÕES TEATRAIS EM NATAL (1914)

Profa. Ms. Sônia Maria de Oliveira Othon

DEART-CCHLA-UFRN

smothon@digizap.com.br

Este trabalho tem por objeto encenações teatrais (quinze ao todo) apresentadas em Natal, capital do Rio Grande do Norte, durante o ano de 1914, por artistas locais e companhias nacionais e estrangeiras. Utiliza-se a noção de pedagogia do teatro como entendida por Othon (2003) para interpretar o papel instrutivo, formativo e recreativo da arte teatral. Para proceder à interpretação foram pesquisados as companhias, os elencos, repertórios e a crítica teatral no jornal A República. Assim, a pedagogia do teatro, expressa na dramaturgia e nos espetáculos, atuou para instruir o natalense acerca de temas políticos, econômicos e sociais sobre os quais a escola regular ordinariamente silenciava.

05. Ato inerente ao processo de ensino-aprendizagem na construção do saber teatro.

Prof. Ms. Ricardo Canella -  DEART-CCHLA-UFRN

ricanella@digizap.com.br

Um dos campos de pesquisa sobre o teatro que vem se redimensionado cada vez mais é o que diz respeito ao seu processo de ensino-aprendizagem. Muitas têm sido as abordagens pedagógicas que procuram permitir ao professor/facilitador ensinar e fazer manifestar no outro, aluno/aprendiz o entendimento e a compreensão do fazer teatral. Pensamos que, para se estar empreendendo um verdadeiro ato cognitivo é preciso cultivar, na prática educativa, a postura do pesquisador, enfim, empreender a pesquisa, entendendo esta como uma forma de se estar a todo instante produzindo conhecimento crítico, ou seja, permitindo ao aluno, ao ser conduzido aos caminhos do conhecer verdadeiramente algo, se emancipar, sendo esta portanto uma ação primordial na formação educacional de uma pessoa. Nesse contexto a pesquisa é um caminho que deve ser percorrido no ato de despertar no educando uma verdadeira aprendizagem sobre as especificidades da área do conhecimento teatral. A investigação como parte da formação, pode introduzir uma maior adequação entre a teoria e a prática possibilitando o fazer criativo e consciente. Percebemos que facilita levar o aluno a entender as partes constitutivas dessa arte pelo caminho da pesquisa, parte essencial no processo da criação artística e que na maioria das vezes está sendo esquecido e deixado de lado no procedimento da construção desse conhecimento.

06. Teatralizando a Vigilância

Profa. Vanuza Souza Silva

CERES-UFRN/DHG

vanuzaz@yahoo.com.br

Esse texto trata da experiência do fazer teatral realizado com os apenados da Penitenciária Estadual do Seridó-Caicó/RN a partir da qual foi possível fazer dos dramas e tramas desses sujeitos o personagem central do próprio espetáculo no evento Natal dos Apenados, o qual era aberto para os próprios presidiários e familiares. O espetáculo foi importante também para os que assistiam por que viam contadas naquele espetáculo suas histórias, histórias de crimes os mais diversos e de mortes. O dia do espetáculo lembrou a teoria aristotélica da catarse, a qual discute que o teatro é feito para expurgar feridas. A peça foi sendo elaborada a partir do primeiro encontro que tivemos e com base em um fato que marcou e/ou marcava a vida dos presidiários que participavam da peça., dentre eles, dois homens e três mulheres e uma agente policial. A peça intitulada Historias de vida contou um fato de cada preso, como exemplo, saudade da mãe, as crises de depressão nas celas, a vontade de matar o companheiro da cadeia e tantas outras. O maior espetáculo não foi a peça em si, mas os olhares de admiração dos presos que assistiam ao teatro, a sociabilidade que fora causada e a satisfação dos próprios presos, personagens que naquele momento pareciam acreditar que fora dos muros a vida poderia ser outra, convidando a todos que lhe assistiam a enxergá-los de forma sensivelmente humana. O teatro naquele momento conseguiu mostrar em minutos que a vida entre quatro paredes, vigiada e punida é um caminho árduo a se seguir, como o é o caminho do crime, e que tal punição não é necessariamente a construção de sujeitos mais conscientes, a não ser que práticas como a arte e a educação sejam partes desse processo de fazer ver que as “falhas” cometidas podem ser aliviadas, modificadas. O teatro foi um desses momentos.

07. A CENA ENSINA: uma proposta pedagógica para formação de professores de teatro

Prof. Dr. José Sávio Oliveira de Araújo

DEART-CCHLA-UFRN

savarau@digizap.com.br

A finalidade última deste trabalho é apresentar alternativas para novos processos de formação de professores de teatro, discutindo diferentes aspectos que possibilitem uma capacitação profissional desta natureza e abordando a compreensão do campo artístico de forma indissociável do campo pedagógico. Partindo do pressuposto que ensinar e aprender são atos de construção de conhecimentos, essa proposta pedagógica tem como objetivo o desenvolvimento de práticas teatrais educativas nas quais a produção de representações teatrais sejam atos pedagógicos sistematizados. Enquanto prática cultural espetacular organizada, o teatro é abordado como um sistema de representação, cujos elementos são construções de diferentes atos de conhecimento, gerando diversos campos de atuação teatral, articulados de modo policêntrico através do conceito de encenação e problematizados segundo questões de natureza textual, corporal e espacial. Os referenciais teóricos e metodológicos desta tese situam-se no pensamento do educador Paulo Freire acerca da organização dialógica de processos de ensino, na produção do GEPEM – Grupo de Estudos de Práticas Educativas em Movimento (PPGEd/UFRN) e em diferentes contribuições na área da Pedagogia Teatral, particularmente aquelas que privilegiam uma compreensão do fenômeno teatral como uma prática coletiva e em processo, dialogando com diferentes formas teatrais presentes tanto nas contribuições já incorporadas às tradições do teatro ocidental, como também, com sínteses e reflexões produzidas por pesquisadores e pensadores contemporâneos do teatro. A proposta pedagógica aqui apresentada consiste de três eixos básicos: a) concepção de área; b) organização curricular; c) produção de materiais para alunos e professores.